Projeto LED4Art: um novo olhar sobre a Capela Sistina

 

A partir do próximo ano, cerca de sete mil luzes led iluminarão a Capela Sistina, no Vaticano. O projeto estará pronto até 18 de fevereiro, data em que se comemoram os 450 anos da morte de Miguel Ângelo.

Com mais de cinco milhões e meio de visitantes por ano, a Capela Sistina tem alguns dos mais extraordinários frescos jamais criados. No entanto, estudos recentes demonstram que os visitantes não vêem os frescos com as cores originais que Miguel Ângelo utilizou. De acordo com os peritos, o mestre renascentista não criou os pigmentos dos seus frescos à luz de velas ou de tochas, mas sim com luz natural. Na realidade, as cores das obras eram mais frias do que se conseguia atualmente ver.

A partir de 2014, e graças a uma tecnologia que corrige as diferentes perceções do olho humano, os frescos podem ser apreciados de uma forma mais fidedigna.
(…)

O projeto LED4Art tem um custo total de um milhão e 900 mil euros. A Comissão Europeia financia a iniciativa com 870 mil euros.

Fonte: Arte Capital | Expresso