Biblioteca do Vaticano quer digitalizar milhões de páginas para as disponibilizar na internet

A Biblioteca do Vaticano assinou hoje um acordo com uma empresa japonesa para a digitalização de 30 mil documentos, uma primeira fase de um plano que pretende elevar esse número para 82 mil.

“O objetivo é digitalizar 40 milhões de páginas e disponibilizá-las na internet para consulta”, disse à Rádio Vaticano o diretor da Biblioteca, Cesare Pasini.

Patrizio Mapelli, presidente da NTT DATA EMEA, empresa de serviços de tecnologia conhecida mundialmente pelos seus conhecimentos na área de informática e comunicação estruturas, adiantou que a digitalização de documentos vai permitir “a estudiosos, investigadores e a um público mais vasto aceder, de modo mais fácil, aos tesouros culturais e históricos do Vaticano”.

“Os manuscritos antigos e livros têm uma abrangência que vai desde a América pré-colombiana até ao extremo oriente chinês e japonês, passando por todas as culturas e línguas que se relacionaram com a cultura europeia” por isso a Biblioteca carateriza-se pelo “espírito humanístico” que permite “conservar e pôr à disposição” este “imenso tesouro aos subúrbios, às periferias do mundo”, disse à Rádio Vaticano o arquivista bibliotecário da Santa Sé, D. Jean-Louis Bruguès.

Fonte: Agência Ecclesia