Christie’s e Parvalorem não estão abertas às condições do empresário angolano

etoile_miro

Nada vai mudar em relação ao leilão das 85 obras de Joan Miró, marcado para Junho na Christie’s de Londres. O PÚBLICO sabe que nenhuma alteração será feita ao processo da venda desta colecção, depois de o empresário angolano Rui Costa Reis ter mostrado interesse em comprar estas obras no leilão, desde que o regulamento deste estipulasse que os eventuais compradores ficassem legalmente obrigados a manter a colecção em Portugal durante 50 anos. Fontes próximas do processo de alienação das obras garantem ao PÚBLICO que esta exigência “não faz sentido” “nem é plausível”. “Está tudo igual.”

Fonte: Público

Artigo completo