Novo diretor do Teatro Rivoli quer devolver espaço ao Porto a partir de janeiro

rivoli

O novo diretor do Teatro Rivoli/Campo Alegre no Porto assumiu que «devolver o teatro à cidade é um desafio enorme» e adiantou que pretende começar a temporada de espetáculos e coproduções a 20 de janeiro de 2015.
O Teatro Municipal do Porto funcionará através de dois polos – Rivoli e Campo Alegre – passando a apostar em coproduções e assumindo-se como “uma ferramenta de trabalho dos artistas e companhias”, assinalou Tiago Guedes.

O Rivoli, equipamento central da cidade, estará mais voltado para a dança contemporânea e outras expressões artísticas como circo e marionetas, enquanto o Teatro do Campo Alegre será “um laboratório criativo e uma plataforma rotativa para as companhias da cidade”.

O coreógrafo defendeu ainda ser “muito importante” que o Teatro Municipal trabalhe “em parceria com as principais casas da cidade”, nomeadamente com o Teatro Nacional de São João e Casa da Música, numa ótica de complementaridade.

“Será feita uma aposta nas coproduções. O Teatro Municipal do Porto não será só de acolhimento. Passaremos também a ser um sítio onde as companhias vêm estrear os seus espetáculos”, salientou.

Tiago Guedes, que venceu o concurso público lançado pela câmara do Porto para programador do Teatro Rivoli, prometeu já que “quando iniciar funções” irá “auscultar toda
a comunidade artística da cidade [para perceber) o que espera” dos dois equipamentos.

Admitindo que nos últimos anos “o Porto perdeu muito público para outras cidades” vizinhas, o responsável defendeu ser urgente “que o teatro comece a funcionar” e “para isso é preciso conquistar as pessoas”.

“A ideia é começar a temporada a 20 de janeiro”, adiantou Tiago Guedes que tem um prazo de 90 dias, a contar da data da assinatura do contrato por três anos realizado a 23 de julho, para apresentar a sua programação.

Segundo Paulo Cunha e Silva, vereador da cultura da câmara, “o orçamento [para o teatro] está a ser trabalhado e deverá ser aprovado em Assembleia Municipal em novembro”

Sobre o Rivoli assinalou que “será tendencialmente um equipamento mais voltado para a dança contemporânea e outras práticas artísticas que utilizam o corpo de uma forma mais expressiva”

“Queremos que a cidade se reveja neste palco, que este palco possa ser um território onde a cidade se apresenta e manifesta, mas também local e importação de práticas artísticas contemporâneas”, frisou.

Enquanto a nova programação não arranca, o vereador anunciou que a partir de 12 de setembro irá decorrer um “grande complexo programático” chamado “O Rivoli Já Dança” e garantiu que o festival de cinema “Fantasporto” se irá manter no próximo ano.

Tiago Guedes, de 35 anos, foi o vencedor do concurso público aberto pela Câmara Municipal do Porto para contratação de um diretor de programação do Teatro Municipal Rivoli/Campo Alegre, numa decisão conhecida no início de julho.

Antes da sua contratação, ocupava os cargos de Diretor Artístico do Teatro Virgínia – Teatro Municipal de Torres Novas, Diretor Artístico do Festival e da Associação Cultural Materiais Diversos.

Iniciou os seus estudos artísticos aos seis anos no Conservatório de Música Jaime Chavinha do Centro de Artes e Ofícios Roque Gameiro, em Minde, estudando música e mais tarde dança.

Fonte: Diário Digital com Lusa