“Casa Onde Nasceu o Mecenas de Nicolau Nasoni: a N.º36 da Rua das Flores”, artigo de André Silva

casa_mecenas_nasoni

A Rua das Flores do Porto está na moda! A recente reabilitação de que foi alvo tornou-a pedonal e acentuou-lhe características comerciais e culturais. A retirada dos carros desta rua está a torná-la progressivamente mais atrativa, encontrando-se assim em vias de ser uma das ruas mais nobres da cidade.

Mas atenção! A acontecer não será a primeira vez que terá um caráter nobre. Outrora, na ocasião da sua construção (século XVI) foi nesta rua que se concentraram muitas das pessoas mais importantes do Porto. A sua construção foi feita por ordem real, utilizando talvez pela primeira vez nesta cidade princípios renascentistas de urbanização. Nomeadamente a via a direito e a construção de casas através de um loteamento regular, com fachadas obrigatoriamente nobres do lado da rua.

Foi neste contexto que foi edificada a casa n.º36 da Rua das Flores onde no século XVIII nasceu Jerónimo de Távora e Noronha que viria a ser Deão da Sé do Porto e um dos principais mecenas Nicolau Nasoni – o autor da nossa Torre dos Clérigos.

À semelhança da maioria das casas desta rua, que se encontram bastante alteradas em relação à sua forma original, a n.º36 caracteriza-se por ainda ter importantes partes que datam da ocasião da abertura da rua. De onde se destacam os dois pisos intermédios, que na fachada contempla as janelas emolduradas precisamente ao estilo renascentista, com os lintéis harmoniosamente salientes das ombreiras e coroados por uma cornija.

Observando-se a fachada destes dois pisos podemos obter uma fugaz perceção de como eram as casas desta rua no século XVI. Tendo para isso de nos abstrairmos das alterações que posteriormente a casa sofrera: como o acrescento do terceiro piso; a alteração do piso térreo; bem como o acrescento das varandas; e, ainda, o revestimento a azulejo – de onde se destaca a representação de uma palete e pincéis que nos acaba também por remeter para a figura de Nicolau Nasoni que, curiosamente, quando chegou ao Porto foi apresentado como pintor.

 

Bibliografia: AFONSO, José, “A Rua das Flores no Século XVI: Elementos para a História Urbana do Porto Quinhentista”, Porto, FAUP Publicações, 2000; CLETO, Joel e JACQUES, Sérgio, “O Porto de Nasoni: Guia de Arquitetura e Património”, 2013; “Elevador Schmitt + Sohn de Última Geração em Edifício Setecentista na Rua das Flores” in “Revista Semana da Reabilitação Urbana”, n.º 4, Vida Imobiliária, Setembro de 2014.