Três universidades do Norte criam o primeiro consórcio do ensino superior

oportunidade

As universidades do Porto, Minho e Trás-os-Montes e Alto Douro oficializam, esta sexta-feira, a constituição do primeiro consórcio de instituições de ensino superior. A colaboração nasceu a pensar em candidaturas conjuntas ao novo quadro comunitário de financiamento, mas evoluiu nos últimos meses. Fruto do acordo que é assinado em Vila Real, as instituições vão poder coordenar o número de vagas, por exemplo, ou promover conjuntamente a região como destino para estudantes internacionais.

(…)

Fruto deste acordo, as três universidades não perdem autonomia e vão continuar a ser independentes. O que está previsto é a criação de uma estrutura de coordenação, constituída pelos três reitores, e que terá liderança rotativa a casa ano. Esse órgão será responsável por identificar as áreas em que a colaboração é possível e por criar os consensos que permitam compatibilizar as estratégias das diferentes instituições.

As três instituições assinaram, em Abril, um “memorando de entendimento”, patrocinado pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN), que tinha como primeiro intuito a apresentação de projectos comuns ao programa europeu 2020. Mas, entretanto, a parceria entre as universidades do Norte evoluiu para um consórcio com objectivos mais alargados.

Os vice-reitores para a área académica das três universidades já constituíram um grupo de trabalho para articulação da oferta educativa, que está a preparar a forma como será feita a gestão conjunta do plafond de vagas para as licenciaturas. A intenção é que essa colaboração tenha efeitos já no próximo concurso nacional de acesso ao ensino superior, no final deste ano lectivo. O consórcio que é oficializado esta sexta-feira prevê ainda que haja partilha de recursos, físicos e humanos, nas actividades formativas, mas sobretudo na investigação, e o desenvolvimento de iniciativas conjuntas nas áreas do desporto, cultura e acção social.

Uma das iniciativas que está já a dar os primeiros passos é a criação de plataforma online que, por um lado, servirá de “monta” da oferta formativa das três universidades e, por outro, seja a âncora da aposta que a UNorte.pt quer fazer no ensino à distância. “Vamos disponibilizar cursos online em vários línguas”, promete o reitor da UP, Feyo de Azevedo.

As três instituições vão também trabalhar conjuntamente na promoção do Norte de Portugal como destino para académicos internacionais. “Se o Norte está a atrair turistas, porque não pode atrair estudantes e investigadores”, questiona Fontainhas Fernandes da UTAD.

A criação do consórcio de Universidade do Norte surge num momento de discussão de uma reforma no sector, que prevê fusões ou consórcios entre instituições e uma racionalização da oferta formativa. A tutela prometeu para o início deste ano precisar os termos das linhas orientadoras para essa organização que tinham sido apresentadas em Maio.

Fonte: Público