Matosinhos vai ser a Capital da Cultura do Eixo Atlântico em 2016

matosinhos

O concelho de Matosinhos vai ser, em 2016, Capital da Cultura do Eixo Atlântico, sucedendo à cidade espanhola de Ourense, estando a autarquia a preparar já um «ambicioso programa» para esse ano.

A decisão foi tomada  em reunião da Comissão Executiva do Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular, que decorreu na Galiza, tendo fonte da autarquia avançado à agência Lusa que será Matosinhos a acolher, em 2016, a Capital da Cultura do Eixo Atlântico.

Matosinhos sucede assim à cidade espanhola de Ourense – que recebeu a iniciativa em 2014 – tendo a autarquia do concelho do distrito do Porto definido a organização da Capital da Cultura do Eixo Atlântico como uma das prioridades do atual mandato autárquico, liderado pelo independente Guilherme Pinto.

(…)
A Câmara de Matosinhos vai ainda avançar com um plano de requalificação urbana que permitirá potenciar o certame do ponto de vista da atração turística e da economia, estando previsto para 2016 a abertura da Broadway da quadra marítima, a criação de várias praças e a iluminação de edifícios emblemáticos, bem como o arranjo das ruas de Alfredo Cunha e França Júnior e de todos os passeios da cidade.

O acolhimento de espetáculos teatrais de companhias galegas em itinerância ou Fazer a Festa ou o FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica e 15 exposições de artes plásticas, fotografia e design, algumas das quais organizadas em colaboração com algumas instituições de referência da Galiza, são exemplos das ações planeadas.

“A Capital da Cultura do Eixo Atlântico ficará ainda assinalada pela abertura da Casa da Arquitetura, do Quadra-Galeria de Design e da Casa da Memória de Matosinhos, bem como pela edição de livros e pela realização de conferências relacionadas com o papel dos Caminhos de Santiago na consolidação de uma identidade luso-galaica e europeia”, acrescenta a autarquia à agência Lusa.

A Capital da Cultura do Eixo Atlântico foi criada em 2007 e visa potenciar as expressões culturais das cidades do Norte de Portugal e da Galiza que compõem esta organização de cooperação transfronteiriça, contribuindo para consolidar os valores comuns e para promover os artistas portugueses e galegos das mais diversas áreas.

Fonte: Diário Digital com Lusa