Futuro do Thyssen-Bornemisza em suspenso

logo thyssen

A coleccionadora Carmen Thyssen-Bornemisza tem três meses para decidir se 429 obras de arte da sua colecção pessoal vão continuar no Museu Thyssen-Bornemisza de Madrid ou se seguirão para outro local sob acordo económico. Era esperado que a decisão fosse tomada até 15 de Fevereiro mas o prazo foi alargado até 15 de Maio.

Em 1993, Hans Heinrich Thyssen-Bornemisza, falecido marido da coleccionadora vendeu 775 obras ao governo espanhol, peças que fazem parte do acervo do museu em Madrid. Depois da sua abertura, Carmen iniciou a sua própria colecção e emprestou 429 obras pelo período de 11 anos. O empréstimo tem sido renovado anualmente desde 2012.

No entanto correm rumores de que este empréstimo terá chegado ao fim – Carmen Thyssen-Bornemisza poderá estar a pensar emprestar a sua colecção por 15 a 20 anos, por uma quantia que poderá chegar aos 5 milhões de euros ao ano.

Fonte: Arte Capital