Detido trabalhador do Museu Hermitage por suspeita de roubo

hermitage

Um trabalhador do Hermitage, em São Petersburgo, um dos maiores museus do mundo, foi detido por suspeita de roubo de vários objetos que tentou posteriormente vender a antiquários, divulgaram hoje as autoridades russas.

O trabalhador da biblioteca do Hermitage, que incorre numa pena de prisão que pode chegar até aos seis anos de cadeia, foi detido na sexta-feira no âmbito de uma investigação sobre o desaparecimento de várias peças daquela instituição, após uma inspeção à biblioteca em janeiro último, indicou um comunicado dos serviços secretos russos (FSB).

As autoridades russas referiram que várias gravuras, litografias, fotografias e livros datados entre os séculos XVII e XIX, todos pertencentes à biblioteca do Hermitage, foram encontrados na casa do trabalhador, mas também no domicílio de um amigo do suspeito e em lojas de antiguidades de São Petersburgo.

Após a descoberta, todas as obras regressaram ao museu, segundo anunciou a direção do Hermitage, num comunicado.

Diário digital / LUSA

Artigo completo