Oliveira Martins defende afetação de impostos à defesa do património

guilherme_oliveira_martins

O presidente do Tribunal de Contas, Guilherme d’Oliveira Martins, defendeu a afetação de recursos financeiros à defesa do património cultural, bem como a transformação do mecenato cultural em algo mais atrativo.

“Precisamos, além do mais, de afetar obrigatoriamente uma parte dos nossos impostos à defesa do património cultural em articulação com a educação, a ciência e a cultura de modo responsável, rigoroso, com sobriedade, avaliação e prestação de contas”, disse o também presidente do Centro Nacional de Cultura durante a conferência de abertura do 16.º Correntes d’Escritas, no Cineteatro Garrett, na Póvoa de Varzim.

O antigo ministro da Educação, num discurso intitulado “Quem tem medo da Cultura?”, sublinhou a importância de “tornar o mecenato cultural mais atrativo e aliciante em nome de um maior compromisso social de todos com a noção de serviço público”.

Fonte: Visão