Câmara do Porto adia para 2016 venda de Casa Manoel Oliveira e Palacete Pinto Leite

1042

casa_manoel_oliveira

A Câmara do Porto retirou hoje da hasta pública agendada para segunda-feira as duas frações da Casa Manoel de Oliveira e o Palacete Pinto Leite, por pelo menos cerca de três milhões de euros, adiando a venda para 2016.

O aviso foi publicado na página da internet do município, dez dias depois de ter sido anunciada a venda, porque a autarquia «concluiu que não precisava desse encaixe financeiro para este ano», explicou à Lusa Nuno Santos, adjunto do presidente da Câmara, Rui Moreira,

A mesma fonte indicou que a hasta pública deste património deve acontecer em 2016, tal como previsto no orçamento para esse ano, que aponta a angariação de 18,6 milhões de euros com a venda de vários imóveis, entre os quais a denominada Casa Manoel de Oliveira e o Palacete Pinto Leite.

(…)

A Casa Manoel de Oliveira, projetada há cerca de duas décadas pelo arquiteto Eduardo Souto Moura para acolher o espólio do cineasta que morreu em abril, apresentava o valor global de 1,58 milhões de euros, o mesmo montante base da hasta pública de maio de 2014.

O leilão ficou deserto e, durante um ano, até 07 de maio, a autarquia tentou, sem sucesso, a sua venda por ajuste direto.

Já o Palacete Pinto Leite, que até 2008 acolheu o Conservatório de Música da cidade e cuja venda em hasta pública foi aprovada pelo executivo e em Assembleia Municipal tendo como condição ser utilizado só para fins culturais, tinha um valor base de licitação de 1,55 milhões de euros.

(…)

Fonte: Diário Digital