Centro histórico transformado em museu a céu aberto

982

wool

A Câmara Municipal da Covilhã quer fazer do centro histórico da cidade um museu de arte contemporânea a céu aberto. A ideia é aproveitar as intervenções artísticas resultantes do Woolfest – Festival de Arte Urbana da Covilhã, que, desde 2011, promoveu mais de 150 ações, entre as quais dezenas de peças de pintura e escultura, de vários estilos, realizadas por conceituados artistas nacionais e internacionais.

“O projeto está em marcha e já foi solicitado o apoio do ministro da Cultura”, diz ao CM Vítor Pereira, presidente da autarquia, que quer “enquadrar o futuro museu num plano mais vasto de revitalização e valorização do centro histórico em que também entram a requalificação do Teatro Municipal e a abertura de espaços para comércio tradicional nas arcadas do edifício dos paços do concelho”. “Queremos que a cultura seja um bom pretexto para repovoar esta zona da cidade que nos últimos anos se foi despovoando”, completa o autarca. As intervenções artísticas, quase sempre subordinadas à temática da história da cidade e da indústria de lanifícios, são feitas, sobretudo, em muros e paredes de edifícios, alguns dos quais se encontravam em avançado estado de degradação. “Mas a requalificação urbana não é a única coisa positiva que resulta destas peças de arte”, diz Pedro Rodrigues, da organização do Woolfest.

“Todos os dias, dezenas de turistas visitam esta zona da cidade que estava esquecida e abandonada. O centro histórico passou a ser um polo de atração turística. Os moradores sentem mais autoestima e começam a valorizar o local onde moram porque sentem que estas obras também são deles”, afirma. O responsável do festival diz que a criação do museu a céu aberto “vai implicar o levantamento e catalogação das obras já existentes”.

Fonte: CM