MoMa expõe artistas dos países proibidos por Trump

moma

Os protestos e a indignação contra as políticas anti-imigração decretadas pelo Presidente norte-americano Donald Trump continuam. Agora, foi a vez do MoMa, o Museu de Arte Moderna de Nova Iorque, que decidiu, na quinta-feira, expor num dos espaços, ocupado pela exposição principal, obras de sete artistas de países abrangidos pelo polémico decreto de Trump. As obras do pintor sudanês Ibrahim el-Salahi ou do arquitecto de origem iraniana Tala Madani estão, assim, a substituir sete trabalhos de Picasso, Matisse, Picabia, entre outros artistas.

A notícia está a ser avançada por vários órgãos de comunicação social, entre os quais oNew York Times, que relatam ainda que o MoMa fez questão de deixar clara a sua mensagem, colocando as seguintes frases junto das obras: “Este é o trabalho de um artista de um dos países cujos cidadãos estão a ser impedidos de entrar nos Estados Unidos, de acordo com a ordem executiva presidencial decretada a 27 de Janeiro de 2017. Este é um dos vários trabalhos da colecção do museu instalados ao longo das galerias do quinto piso, para afirmar os ideais de boas-vindas e de liberdade como vitais para este museu, assim como para os Estados Unidos.”

Entre os artistas com trabalhos agora expostos estão ainda Parviz Tanavoli, Charles Hossein Zenderoudi, Shirana Shahbazi, Marcos Grigorian e Siah Armajani. O museu agendou também para este mês a exibição de filmes de realizadores igualmente abrangidos pela proibição de Trump.

Fonte: Público