Arte Xávega da Costa de Caparica entra no Inventário Nacional do Património Cultural

arte_xavega_costa_caparica

A Arte Xávega, um tipo de pesca tradicional na Costa de Caparica, em Almada, foi inscrita no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, de acordo com a publicação desta quinta-feira em Diário da República. “A Diretora-Geral do Património Cultural decidiu favoravelmente sobre o pedido de inscrição da Arte Xávega (Costa da Caparica, Almada) no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, apresentado pelo Município de Almada”, refere o Diário da República.

A Arte Xávega trata-se de uma técnica de pesca tradicional que consiste na utilização de uma rede de cerco envolvente que é lançada no mar e depois puxada para terra.

 Outro dos motivos para a decisão publicada esta quinta-feira foi “a importância de que se reveste esta manifestação do património cultural imaterial pela sua profundidade histórica e evidente relação com práticas homólogas de outras comunidades piscatórias em Portugal, designadamente no litoral Centro e Norte”.

Segundo a publicação, as técnicas deste tipo de pesca são transmitidas entre gerações dos dois núcleos piscatórios da comunidade da Costa da Caparica, tendo sido efetuadas diligências pela autarquia de Almada com o objetivo da sua inventariação. “A inventariação da manifestação do património imaterial em apreço é objeto de revisão ordinária em períodos de 10 anos, sem prejuízo de revisão em período inferior sempre que sejam conhecidas alterações relevantes, sendo que qualquer interessado pode suscitar, a todo o tempo, a revisão extraordinária do registo de inventariação”, concluiu.

O processo iniciou-se em 2015 com o pedido de inscrição da Câmara Municipal de Almada à Direção-Geral do Património Cultural, que abriu a consulta pública entre 3 de agosto e 11 de setembro desse ano.

Fonte: Observador