Souto de Moura vence prémio europeu

convento_bernardas-tavira_souto_moura

Eduardo Souto de Moura venceu o Prémio Europeu de Intervenção em Património Arquitetónico 2017 pelo seu projeto de reconversão do antigo Convento das Bernardas, em Tavira, num complexo residencial e turístico. O arquiteto português enquadrou-se na categoria de Intervenção no Património Construído, que incluía outras quatro candidaturas de países como Espanha e a Dinamarca. De quase 200 projectos, o júri seleccionou 18 finalistas, dos quais escolheu 4 vencedores e 2 menções honrosas.

O júri elogiou a obra realizada em Tavira por ter conseguido criar um complexo residencial de alojamento turístico “sem comprometer “as qualidades arquitetónicas e patrimoniais do convento original”, com 500 anos de existência. Na ficha de apresentação do projeto, citada pelo “Público”, Souto de Moura escreveu: “O património não é um caso especial de projeto, precisa apenas de mais 20% de honorários, porque o tosco já lá está. Não precisa de ‘cuidados intensivos’, precisa apenas de outros cuidados, porque cada caso é um caso, quer dizer, uma casa.”

Esta distinção é atribuída a cada dois anos pela Associação de Arquitetos para a Defesa e Intervenção no Património Arquitetónico e pelo Colégio Oficial de Arquitetos da Catalunha.

Na categoria Divulgação foi premiado um outro projeto português, “Versus — Lições do Património Vernacular à Arquitetura Sustentável”, pertencente à Escola Superior Galécia, em Vila Nova de Cerveira. Trata-se de um curso coordenado por Mariana Correia.

Fonte: Expresso