Crítica internacional de arquitetura distingue Carrilho da Graça e André Tavares

carrilho_graca_pdf

“Carrilho da Graça: Lisboa”, das curadoras Marta Sequeira e Susana Rato, que acompanhou a exposição inaugurada em 2015 na Garagem Sul do Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, recebeu uma menção honrosa do Prémio Internacional Julius Posener, dedicado a catálogos de arquitetura, de acordo com o comunicado do CICA hoje divulgado.

A edição inglesa da obra de investigação de André Tavares “A Anatomia do Livro de Arquitetura” (“The Anatomy of the Architectural Book”), editada pelo Centro Canadiano de Arquitetura, com as publicações Lars Müller, de Zurique, foi também recomendada pelo júri do CICA, no âmbito do Prémio Internacional Bruno Zevi do livro de arquitetura.

O vencedor do prémio Julius Posener foi o catálogo da mostra “Demo:Polis — The Right to Public Space”, da Academia das Artes de Berlim e da Escola de Arquitetura da Universidade do Texas, coordenado por Barbara Hoidn, com edição da Park Books, de Zurique.

O prémio Bruno Zevi foi atribuído ao professor britânico Chris Abel, pelo ensaio “The Extended Self — Architecture, Memes and Minds”, publicado pela Manchester University Press. André Tavares partilha as menções honrosas com William Curtis, por “Le Corbusier — Ideas and Forms”, publicado pela Phaidon, e Charlie Q.L. Xue, autor de “Hong Kong Architecture 1945-2015 — From Colonial to Global”, da editora Springer, de Singapura.

Foi ainda atribuído o prémio de jornalismo Pierre Vago à edição “Perspecta #49″, do Jornal de Arquitetura da Universidade de Yale, Estados Unidos, publicado pela MIT Press.

Os livros “Uma Anatomia do Livro de Arquitetura” e “Carrilho da Graça: Lisboa” foram publicados em Portugal pela Dafne e partilham o nome do arquiteto André Tavares como editor.

(…)

Fonte: DN

Artigo completo (+)