Arquivos de Siza Vieira disponíveis online a partir de Fevereiro

siza

A partir do próximo mês de Fevereiro, os interessados vão poder consultar onlineuma primeira parte dos arquivos que Álvaro Siza doou, em 2014, às fundações de Serralves, no Porto, e Gulbenkian, em Lisboa, e ao Centro Canadiano de Arquitectura (CCA), em Montréal. As descrições arquivísticas destes materiais começarão a ser disponibilizadas online nos sites do CCA, Serralves e Gulbenkian, incluindo os primeiros projectos dos anos 1950 e 1960, bem como projectos para o IBA de Berlim e projectos de renovação urbana para a cidade de Haia datados dos anos 1980”, diz o documento conjunto.

Os arquivos em causa estão actualmente assim distribuídos: os projectos datados entre 1958 e 2006 foram para as fundações de Serralves e Gulbenkian, seguindo mais ou menos a sua distribuição a Norte e a Sul do país, respectivamente; os projectos de repercussão internacional, que praticamente atravessam toda a carreira do arquitecto desde o museu brasileiro Iberê Camargo, em Porto Alegre, até ao presente, estão depositados na instituição de Montréal.

Entre os trabalhos a disponibilizar já em Fevereiro, se poderão encontrar a Casa de Chá da Boa Nova (1963) e as Piscinas das Marés (1966), ambos em Leça da Palmeira, Matosinhos; o edifício do Banco Borges & Irmão, em Vila do Conde (1986), a Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (1992), o Museu de Arte Contemporânea de Serralves (1999), mas também o edifício Bonjour Tristesse, em Berlim (1982-83), e o complexo de habitação Punt en Komma, na capital holandesa, Haia (1985-89).

No seu conjunto, as três instituições reúnem de Siza “textos, correspondência, fotografias e slides, cerca de 60 mil desenhos, 500 maquetes, 282 cadernos de esquissos e o arquivo de materiais digitais”, discrimina o comunicado.

Fonte: Público