Adega da Herdade do Freixo ganha prémio de Edifício do Ano

adega_freixo

A adega concebida por Frederico Valsassina foi considerado o Edifício do Ano no que à arquitetura industrial diz respeito, segundo a Archdaily.

Frederico Valsassina Arquitetos levou a cabo o projeto na Herdade do Freixo (Redondo), uma propriedade alentejana de 300 hectares, 26 dedicados à vinha. “A morfologia do lugar foi decisiva, tornando imperativo mantê-lo intacto, apesar da intervenção em causa numa construção deste género”, explicou o gabinete de Valsassina à Archdaily, a publicação que, anualmente atribui estes prémios.”Uma intervenção nunca poria em perigo o equilíbrio encontrado no local”, acrescentam. O edifício confunde-se com a paisagem, e esse era o plano do arquiteto.

“Na produção, a opção de enterrar a adega, projetando em vários pisos até mais de 40 metros de profundidade, permitiu que a força gravitacional do processo de fazer vinho fosse usada, respeitando as massas do vinho e usando as mais avançadas e inovadoras técnicas de enologia. Foi também possível, por esta razão, criar as melhores condições térmicas para a conservação do vinho dada a redução da amplitude térmica e os baixos valores de temperatura”, considera o ateliê acerca do projeto, num texto elaborado para a plataforma Archdaily, que entrega anualmente estas distinções.

A adega da Herdade do Freixo competia pelo prémio de Edifício do Ano ao lado de outros dois projetos de arquitetos portugueses: a sede de GS1 Portugal, do ateliê Promontorio, e a Faculdade de Arquitetura de Tournai, do ateliê Aires Mateus.