Atelier AR4 vence concurso público para o Museu Nacional da Resistência e da Liberdade

forte_peniche

A Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) anunciou, esta terça-feira, os resultados do concurso público para a realização do projeto de arquitetura do futuro Museu Nacional da Resistência, em Peniche. Em primeiro lugar ficou o Atelier AR4c (com coordenação do arquiteto João Barros Matos), seguido da FSSMGN Arquitetos (com coordenação da arquiteta (Margarida Grácio Nunes). O terceiro lugar foi ocupado pelo arquiteto Marcelo de Gouveia Cardia.

O concurso, promovido pela DGPC com assessoria técnica da Secção Regional Sul da Ordem dos Arquitetos, recebeu 22 participações. Os trabalhos foram apreciados e ordenados pelo júri, composto pelos arquitetos Alexandre Alves Costa, enquanto presidente, João António Serra Herdade, João Mendes Ribeiro, Sofia Aleixo e o designer Henrique Cayatte.

 

A iniciativa, no valor de 256 mil euros, foi lançada em fevereiro pela DGPC. No passado 11 de maio, o organismo abriu novas candidaturas para as  obras de recuperação dos antigos pavilhões prisionais da Fortaleza de Peniche, onde ficará instalado o espaço museológico de 11 núcleos temáticos. O investimento na recuperação do espaço, da respetiva muralha e de instalação do Museu Nacional da Resistência e Liberdade será de cerca de 3,5 milhões de euros. Destes, três milhões serão financiados por fundos comunitários e, os restantes, pelo Orçamento do Estado para 2018.

Os projetos que participaram no concurso público para o projeto do Museu da Resistência serão apresentados ao público numa exposição que será inaugurada a 20 de junho, às 19h, no Museu de Arte Popular, em Belém.

Fonte: Observador