Sarcáfago regressa ao Museu da Farmácia

185

sarcofago_museu_farmacia

O sarcófago de Irtierut, uma das mais admiradas peças da colecção do Museu da Farmácia, em Lisboa, foi restaurado e voltou ao seu lugar.
Durante os trabalhos de conservação, foram descobertas no interior da peça, datada da Época Baixa, de 664 a 332 a.C., fibras e algumas contas, que pertenceriam ao colar colocado na múmia de Irtierut e que estão reproduzidas em pormenor no desenho da peça exterior.
O sarcófago em madeira estucada foi alvo de limpeza superficial por via mecânica e do preenchimento de pequenas falhas na pintura do gesso.
As fibras agora descobertas permitirão determinar a técnica e os materiais utilizados na mumificação de Irtierut, ajudando os investigadores a confirmar a datação da peça, através dos pigmentos e aglutinantes utilizados, explicou Daniel Vega, do Centro de Conservação e Restauro da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Lisboa.
O sarcófago de Irtierut foi adquirido em 1940 pelo coleccionador Josef Nestor, passando a integrar a The Plaisant Josef Nestor Collection, nos Estados Unidos da América. Chegou ao Museu da Farmácia, em Lisboa, a 8 de Março de 2002. «Esta é uma das peças mais marcantes da nossa colecção», descreve a curadora do museu, Paula Basso, «e uma das mais admiradas pelo público», acrescenta.
Fonte. Revista Saúde
Artigo completo (+)