Fundação Bienal de Arte de Cerveira Revive os V Encontros Internacionais de Arte de 1978

encontros_arte_bienal_cerveira.jpg

Reconhecendo a importância histórica da Bienal Internacional de Arte de Cerveira e o seu caráter incontornável para qualquer estudo da memória recente da arte portuguesa, a Fundação Bienal de Arte de Cerveira propõe “Recontar a (pré) história da Bienal” a partir deste sábado.

Egídio Álvaro e a Galeria Alvarez organizaram, entre 1974 e 1977, os Encontros Internacionais de Arte, realizados em Valadares, Viana do Castelo, Póvoa do Varzim e Caldas da Rainha. Em 1978, os V Encontros Internacionais de Arte foram realizados em Vila Nova de Cerveira dando assim origem à I Bienal Internacional de Arte de Cerveira.

“Esta mostra procura revisitar através de documentos, imagens e obras um momento particularmente fértil em experiências e pesquisas artísticas, individuais e coletivas, consequentes da reunião de artistas nacionais e estrangeiros em torno de colóquios e debates, intervenções e exposições, assim como da procura pelo estabelecimento de um diálogo constante entre artistas e o público”, explica o coordenador artístico da Fundação Bienal de Arte de Cerveira, Cabral Pinto.

Em exposição estarão documentos inéditos de Edgardo Xavier (pintor, poeta, escritor e crítico de artes plásticas), obras originais de mais de 12 artistas que participaram há 40 anos na primeira edição do evento, entre os quais autores de renome como Vieira da Silva e Amadeo de Souza-Cardoso.

A curadoria é de Helena Mendes Pereira, com a colaboração da Galeria Alvarez.

A iniciativa integra a candidatura “Bienal Internacional de Arte de Cerveira: 40 anos que projetam o futuro”, com o apoio da República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes. Pela sua importância esta mostra estará patente ao público durante a XX Bienal Internacional de Arte de Cerveira (10 de agosto a 23 de setembro).

Para mais informações (+)