Muro construído em frente ao Mosteiro da Batalha com avaliação positiva

paredao_mosteiro_batalha

O muro construído em frente ao Mosteiro da Batalha, junto ao IC2, reduziu em mais de 20% o ruído, permitindo cumprir os valores regulamentares, disse esta terça-feira à agência Lusa o presidente do município. De acordo com um estudo técnico divulgado pela Câmara Municipal da Batalha, liderado por Paulo Batista Santos (PSD), no Dia do Município, registou-se uma “evolução positiva dos níveis do ruído na zona do Mosteiro da Batalha, face a igual análise realizada em 2014″.

Esta obra gerou polémica no concelho da Batalha, distrito de Leiria, com algumas pessoas a insurgirem-se contra o impacto visual que o muro provocava. “O mérito não é do presidente de câmara, mas de um conjunto de pessoas que se empenharam em realizar este projecto. Hoje os nossos técnicos mostram que era possível assegurar a preservação do mosteiro”, adiantou o autarca.

O presidente da câmara frisa que este “foi um bom investimento e é o único monumento que fez a diferença na defesa do património”. Paulo Batista Santos acrescenta que “este projecto foi realizado em estreita parceria com a Direcção-Geral do Património Cultural, a concessionária Infra-estruturas de Portugal e ainda teve financiamento da União Europeia, além do apoio da Assembleia da República, do Governo e de muitas personalidades nacionais e estrangeiras, a quem o município da Batalha agradece e felicita pela coragem” de ajudarem a fazer “um projecto único em termos nacionais, na defesa de um património também ele singular”.

O Mosteiro de Santa Maria da Vitória, na Batalha, resultou do cumprimento de uma promessa feita pelo rei D. João I, em agradecimento pela vitória na Batalha de Aljubarrota, travada a 14 de agosto de 1385, que lhe assegurou o trono e garantiu a independência de Portugal. Por esse facto, o Dia do Município da Batalha é comemorado a 14 de Agosto, data que este ano é assinalada através da conclusão deste “importante” projecto para a preservação do mosteiro da Batalha, refere uma nota da autarquia.

Fonte: Público