Bienal Douro presta homenagem a José de Guimarães

134

bienal_douro_2018

A Bienal Internacional de Gravura do Douro espalha entre agosto e outubro, por sete concelhos, 1.400 gravuras, de 700 artistas e 70 países e faz uma homenagem ao artista plástico José de Guimarães.

A Bienal Internacional de Gravura do Douro nasceu em 2001, pelas mãos de Nuno Canelas, natural de Alijó, com a ambição de descentralizar a cultura e promover a arte da gravura. Em 2018, aquela que a organização diz ser a “única bienal de obra gráfica de Portugal”, leva ao Douro e a Trás-os-Montes artistas de todo o mundo entre sexta-feira, dia 10 de agosto, e 31 de outubro.