“Por amor” e “Sinestesia”: Paulo Ponte em exposição

104

exp_paulo_ponte

Paulo Ponte está de regresso às exposições. Desta vez, com duas coleções, “Por Amor” e “Sinestesia”, que serão expostas na Galeria Ap´Arte, no Porto, na icónica Rua Miguel Bombarda, de 22 de setembro a 3 de novembro. Duas mostras que revelam a procura constante do autor de uma linguagem capaz de partilhar e exteriorizar ideias, que percorrem um caminho flexível de um mundo de experiência, iniciada no autor e que se estende ao observador que as interpreta e desvenda.

“Por Amor” é o mote de homenagem a dez compositores, que através da sua música glorificam o imenso prazer de viver. Com base em retratos, fotografias ou pinturas da época, foram anexados os traços de caráter, os factos da vida e da obra, tal como uma citação dos próprios, que sustenta a forma de os ouvir, sentir e exprimir. Esta coleção de Paulo Ponte presta homenagem aos que, de forma absolutamente apaixonada, dedicaram a sua vida à música.

“Sinestesia” tem origem no grego e significa a conjugação de planos sensoriais diferentes. A música assume-se como a mais sublime, nobre e criativa forma de expressão humana, capaz de transmitir e partilhar sentimentos, desde a raiva à saudade, mas sobretudo do amor ao Amor. Esta coleção traduz as sensações e os estímulos criados por obras musicais, transformadas em cores, formas e luz.

Paulo Ponte nasceu no Porto, em agosto de 1969. Desde muito cedo que a expressão artística exerceu sobre si um forte fascínio, desde o desenho à pintura, passando pela fotografia. A música está sempre presente na sua vida e, consequentemente, na sua obra. As artes visuais acabaram por ganhar terreno, tendo estudado na Escola de Artes Decorativas Soares dos Reis e formado em Comunicação Visual, na área do Design Gráfico, pela ESAD. Tem desenvolvido atividades profissionais ligadas à Comunicação, à publicidade, design gráfico, fotografia, ao desenho técnico e de arquitetura.

O ano de 2016 marcou o regresso a uma das formas de expressão prediletas, a pintura. São refletidos os temas que preenchem e marcam a sua vida, a música e a filosofia. Representam retribuições pelo prazer de viver, pela compreensão e a valorização da Humanidade, mas, muito especialmente, pela criatividade.