Mosteiro de Santa Clara-a-Velha comemora Jornadas Europeias do Património

jep_2018

O Mosteiro de Santa Clara-a-Velha participa nas comemorações nacionais das Jornadas Europeias do Património (JEP) cuja temática escolhida para o ano 2018 celebra a Partilha de Memórias.

 

27 de setembro | 17h30

Conferência: “Projeto SOS Azulejo’2007 – 2018: Ações que Transformaram a Proteção e Divulgação do Património Azulejar Português”. Com Leonor Sá.

A conferência integra o ciclo de 7 conferências agendadas até final do ano 2018 no âmbito da exposição “Azulejaria Mudéjar do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha – Inclusão pela Cor”.

O Projeto “SOS Azulejo” é de iniciativa e coordenação do Museu de Polícia Judiciária e nasceu da necessidade imperiosa de combater a grave delapidação do património azulejar português que se verifica atualmente, de modo crescente e alarmante, por furto, vandalismo e incúria.

Participação livre.

 

28 de setembro |10h30 e 15h00

Oficina educativa A Botica Monástica

A oficina (gratuita) pretende dar a conhecer o importante papel da botica conventual existente na casa monacal feminina do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha e sua ação no bem-estar da comunidade envolvente.

Inscrição obrigatória limitada a 20 participantes por sessão.

 

28 de setembro | Hora: 11h,14h,15h,16h,17h

Visita guiada à exposição Azulejaria Mudéjar do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha – Inclusão pela Cor”.

Visita guiada (gratuita) com duração aproximada de 60 minutos. Marcação obrigatória e limite de 25 participantes por grupo. Além da exposição localizada no Centro Interpretativo, o percurso de visita inclui a observação de azulejos na Igreja e no Claustro do Mosteiro (Ruína arqueológica).

 

29 de setembro | 16h00

Conferência “À mesa com as freiras: o que nos dizem os ossos”, com Cleia Detry.

Como se alimentava a comunidade residente no Mosteiro de Santa Clara-a-Velha no século XVII? Quais os produtos de origem animal mais consumidos? Quais os resultados na saúde e nos modos de vida da comunidade?

Descubra a resposta a estas e a outras perguntas na conferência “À MESA COM AS FREIRAS: O QUE NOS DIZEM OS OSSOS” com a investigadora CLEIA DETRY (Uniarq – Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa)

A iniciativa inclui a visita à Reserva Arqueológica com observação de material osteológico.

Participação livre limitada à capacidade das instalações.

 

29 e 30 de setembro | 10h30 e 15h00

Oficina “Entre a Regra, o Silêncio e a Alimentação”

O passado é a herança cultural da humanidade que melhor a capacita a tornar-se esclarecida e a partilha de memórias entre as diferentes gerações, fortalece o sentimento de apropriação do património que é de todos e para todos.
Sabemos que a Regra, o Silêncio e a Alimentação faziam parte do quotidiano da comunidade de clarissas do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha e queremos partilhar este património material e imaterial entre as diferentes gerações.

Esta partilha adota o formato de visita temática in situ seguindo-se uma atividade que convida os adultos a usarem entre si sinais, cumprindo um dos votos presentes na Regra de Santa Clara do Papa Urbano IV: o dever de contínuo silêncio. Através de sinais, com os alimentos utilizados à época e em comunidade, será elaborado um preparado bem doce que fará jus à tão famosa doçaria conventual de Santa Clara.

Inscrições obrigatórias (participação gratuita)

 

30 de setembro | 19h19

Teatro | Inês de Portugal, pelo grupo de teatro Fatias de Cá

Última apresentação de 2018 com um PREÇO SUPER ESPECIAL!
Duração: 3h33 (inclui refeição)

Custo: 15 euros (preço especial – organização da Direção Regional de Cultura do Centro. Preço normal 33,33€)

Inscrição e informação: mosteiro.scvelha@drcc.gov.pt | Tel. 239 801 160

Sinopse: A execução de Inês de Castro foi decretada por uma sentença real e motivada por imperativos políticos. Ao subir ao trono, D. Pedro, que tinha jurado perdoar os “matadores” de Inês, decidido a vingar a única mulher que amou, quebra esse juramento e proclama Inês, depois de morta, Rainha de Portugal.