Colecção Miró fica no Porto

100

etoile_miro

A Colecção Miró irá permanecer no Porto durante os próximos 25 anos,anunciaram o primeiro-ministro António Costa, e a ministra da Cultura, Graça Fonseca, sendo a Fundação de Serralves o local escolhido pelo Estado e pela Câmara do Porto para receber a coleção que pertencia ao BPN e foi resgatada pelo atual governo. A autarquia presidida por Rui Moreira irá pagar 100 mil euros por ano a Serralves para a manutenção, proteção e depósito das obras, comprometendo-se ainda a financiar até um milhão de euros as obras de ampliação e adaptação que irão ser feitas na Casa de Serralves, num projeto que está a ser delineado por Siza Vieira.

Para António Costa, a escolha do Porto, há muito anunciada, é simples: tem como “razão fundamental potenciar e diversificar o acesso à cultura.” O primeiro-ministro considera que o momento da cidade é de grande crescimento e como há “mais país para além de Lisboa e num momento de projeção nacional e da atividade turística é natural que reforcemos a capacidade criativa e a cena artística do Porto”. E Serralves encaixa bem, garantiu António Costa, por “não ser necessário criar uma nova instituição”, já que a fundação privada tem renome internacional e é garantia que a coleção ficará bem entregue.

Fonte: DN

Artigo completo (+)