Vizinhos da Tate processam museu britânico

59

tate

 

Os proprietários de quatro apartamentos no luxuoso complexo de habitação londrina Neo Bankside, que se ergue defronte da Tate Modern, processaram o museu para tentar impedir que centenas de milhares de visitantes possam ter acesso visual ao interior das suas casas.

Se um dos atractivos da torre de apartamentos é justamente a sua vista privilegiada sobre Londres, os residentes não gostaram que a Tate explorasse esse mesmo trunfo inaugurando em 2016 uma galeria panorâmica no décimo e último piso do novo edifício projectado pelos arquitectos Herzog & de Meuron como extensão do museu, a Switch House.

O advogado Tom Weekes, que representa os moradores descontentes, alega que os visitantes do museu “submetem os apartamentos a um escrutínio visual invulgarmente intenso”, com alguns a recorrerem mesmo a binóculos e lentes com zoom. Um dos queixosos, assegurou Weekes ao diário inglês The Guardian, contou 84 pessoas a fotografarem o edifício num período de hora e meia e diz ter descoberto que uma fotografia onde ele próprio aparece foi publicada no Instagram e tinha já sido vista por mais de mil pessoas.

A administração da Tate Modern argumenta que a solução mais simples é os moradores descerem os seus estores e, “se for necessário, porem umas cortinas”. Guy Fetherstonhaugh, advogado da Tate, observa que os visitantes acedem à galeria “para desfrutarem de uma vista única sobre Londres”, e não para espreitarem as residências dos queixosos, e considera “irrazoável” que se pretenda “negar ao público o direito de usar a plataforma só para dar aos reclamantes o direito a gozarem sem entraves as suas próprias vistas”.

Fonte_ Público