Direcção Regional de Cultura do Alenteo prepara mudança de tutela do Museu Frei Manuel do Cenáculo

34

museu_cenaculo_evora

A Direção Regional de Cultura do Alentejo disse hoje estar “a tratar dos procedimentos administrativos” para passar a tutela do Museu Frei Manuel do Cenáculo, em Évora, museu nacional desde 2017, para a Direção-Geral do Património Cultural. Essa mudança de tutela, que ainda pertence à Direção Regional de Cultura do Alentejo (DRCAlen), deve-se, precisamente, ao facto de se tratar de “um Museu Nacional”, explicou.

“A DRCAlen queria muito que esta mudança existisse, para que o museu possa ter mais condições”, pois, “a direção regional não tem meios financeiros para o valorizar mais”, congratulou-se Ana Paula Amendoeira, que se encontra no estrangeiro e escusou-se a comentar as declarações da ministra da Cultura, Graça Fonseca, na terça-feira, no parlamento.

Na audição parlamentar, na especialidade, sobre o Orçamento do Estado para a Cultura, a ministra afirmou que, em Évora, “o Museu Regional passará a ser Nacional já em janeiro, com um novo projeto museológico e maior capacidade de atração”.

O equipamento, frisou a governante, vai tornar-se, assim, “no primeiro Museu Nacional a sul do Sado”.

(…)

O Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, instalado no antigo Paço Episcopal, junto à Sé e ao Templo Romano, tem um acervo de cerca de 20 mil peças de pintura, escultura e arqueologia, possuindo ainda azulejaria, ourivesaria, paramentaria, mobiliário, cerâmica, numismática e naturália (objetos curiosos da natureza).

O núcleo original das coleções permanentes de arqueologia é constituído por um conjunto de antiguidades recolhidas, no sul do país, por Frei Manuel do Cenáculo, nomeado bispo de Beja em 1777, e indigitado arcebispo de Évora em 1802.

(…)

Fonte: RTP