Expansão do CCB vai a concurso internacional

55

Esta quarta-feira foi, finalmente, oficializada a expansão do Centro Cultural de Belém (CCB), prevista há 25 anos, que contempla um hotel de quatro estrelas ou superior e uma galeria comercial. O concurso público internacional para a expansão do CCB é lançado esta quinta-feira, dia 29 de novembro, anunciou, em conferência de imprensa, o presidente da Fundação CCB, Elísio Summavielle, ladeado pela ministra da Cultura, Graça Fonseca, e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina.

A Fundação CCB vai ceder os direitos de superfície dos terrenos, designados como módulos 4 e 5, ao vencedor do procedimento público internacional que tem em vista o desenvolvimento de projetos de construção, instalação e exploração de uma unidade hoteleira e uma galeria comercial por um período de 50 anos.

A Fundação irá receber pelo promotor do estabelecimento hoteleiro e do espaço comercial 900 mil euros por ano, no mínimo, durante o período de concessão. “É uma renda fixa anual, é atualizada todos os anos de acordo com a inflação existente, ou não”, esclareceu Summavielle.

O presidente da Fundação CCB, Elísio Summavielle prevê que dentro de três anos e meio, quatro anos no máximo, “se tudo correr bem”, o hotel e os espaços comerciais vão estar a funcionar. E já há interessados, nacionais e internacionais, para a construção e exploração dos módulos 4 e 5 de expansão do CCB. Interessados que começaram logo a aparecer quando Summavielle anunciou, em 2017, “o sonho de completar o projeto CCB”. “Estamos num momento bom, o turismo está em alta e há interessados. Sei que há meia dúzia”, pormenorizou.

Uma obra que deverá ter custos a rondar “entre os 60 a 70 milhões de euros”, explicou Summavielle, tendo em conta “aos preços atuais do mercado da construção” e o “equipamento sofisticado” que se prevê para o espaço.

(…)

Fonte: DN

Artigo completo (+)