Museu J. Paul Getty reivindica direita a manter uma estátua grega na sua colecção

31

O Museu J. Paul Getty, em Los Angeles, prometeu reivindicar o direito de manter uma importante estátua grega, depois de o mais alto tribunal italiano ter rejeitado o recurso sobre a decisão, que exigia o retorno da obra a Itália.

“Victorious Youth”, como é conhecida nos Estados Unidos, ou “L`Atleta di Fano”, segundo os italianos, é uma estátua de bronze, em tamanho real, datada de 300 a.C a 100 a.C, que constitui um dos destaques da coleção do Museu Getty.

Um tribunal italiano em Pesaro ordenou que a estátua fosse devolvida em 2010, no auge da campanha italiana de recuperação de antiguidades roubadas do seu território, e vendidas a museus e colecionadores particulares por todo o mundo.

O Museu Getty disse que Itália não tem direito à estátua, que foi encontrada no mar por um pescador italiano, em 1964, tendo sido posteriormente comprada pelo museu, em 1977, por quatro milhões de dólares.

O Getty declarou esta semana que “continua a defender” o seu “direito legal à estátua”, alegando que nem a lei nem os factos apresentados suportam a decisão de a entregar aos italianos.

Ainda não se sabe se o Museu Getty irá recorrer ao Tribunal Europeu, permanecendo igualmente desconhecida a decisão do Governo italiano. O Supremo Tribunal ainda não emitiu o acórdão, que traduz a sua decisão por escrito.

O museu sublinhou que a estátua tem origem grega, foi encontrada em águas internacionais e nunca fez parte da herança cultural de Itália. Além disso, o Getty citou uma decisão de 1968, em qua a Justiça diz não ter encontrado provas de que a estátua pertencia a Itália.

“Uma descoberta acidental por cidadãos italianos não faz da estátua um objeto de Itália”, afirmou o museu.

A estátua de um jovem atleta levantando a mão direita em direção a uma coroa de oliveira, apelidada de “Getty Bronze”, tem 1,52 metros de altura, sendo um dos poucos bronzes gregos em tamanho real que persistem.

Apesar de o autor ser desconhecido, alguns estudiosos acreditam que foi feita por Lísipo, o escultor pessoal de Alexandre, O Grande.

Em 2007, o Museu Getty, sem admitir qualquer delito, aceitou devolver a Itália 40 tesouros antigos em troca de empréstimos de longo prazo de outros artefactos.

O Museu Getty e Itália já colaboraram em dezenas de projetos de restauro, pesquisa e exibição de obras de arte.

Fonte: RTP