Arquivo de Verdi põe a descoberto genialidade do autor

287

O arquivo que Giuseppe Verdi (1813-1901) acumulou na sua villa de Sant’Agata, em Villanova sull’Arda, Placência, no norte de Itália, onde residiu grande parte da sua vida, está a partir de agora disponível ao público.

O espólio, guardado no baú e classificado em 2008 pelo Estado italiano, é constituído por esboços e partituras musicais, cartas, apontamentos e outros manuscritos que dizem principalmente respeito à produção musical de Verdi a partir da década de 1860, e ajudarão nomeadamente a entender melhor o processo de criação de obras maiores, como as óperas Don Carlo(1867), Aida (1871), Otello (1887) e Falstaff (1893).

“Sabia-se da existência destes materiais em Sant’Agata desde 1941, quando foi publicado o fac simile do esboço de Rigoletto [1851]”, disse ao jornal El País Fabrizio Della Seta, especialista na história da ópera italiana do século XIX. O também professor na Universidade de Pavia recorda que, no entanto, “só alguns privilegiados puderam consultá-los”, por via da disponibilidade de Alberto Carrara Verdi, então o herdeiro único do compositor.