Projeto de dois milhões de euros coloca clubes de ciência em rede

38

A Direção-Geral de Educação e da Ciência Viva-Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica tem um novo projeto de criação de Clubes de Ciência Viva Na Escola, com um financiamento disponível de dois milhões de euros. A iniciativa, cuja missão é fazer chegar a ciência às escolas, pretende “criar espaços de ciência abertos a toda a comunidade para promover o acesso a práticas científicas inovadoras” e contribuir “para a literacia científica e tecnológica dos alunos e da comunidade educativa, assim como estimular a aprendizagem e o entusiasmo pela ciência”.

Rosália Vargas, presidente da Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica – Ciência Viva e diretora do Pavilhão do Conhecimento – Centro Ciência Viva, explicou que os clubes de ciência nas escolas já existem há muito tempo, mas agora estes poderão funcionar em rede, estando já inscritos 237 clubes a nível nacional no novo projeto. “Há vantagem de trabalhar em rede, porque tudo se faz melhor quando se estabelecem parcerias e quando há objetivos comuns que alimentam esta grande rede que queremos criar nas escolas”.

Na prática, os clubes de ciência nas escolas funcionam com os professores que gerem os clubes, com autonomia para dinamizar e escolher as áreas, no entanto, como referiu a responsável, serão “chapéus agregadores de muitos projetos que as escolas têm”. “Nós não definimos nos clubes áreas específicas. São muitas as que podem existir e os clubes vão receber, de uma forma inclusiva, dinâmica, esses inúmeros projetos que as escolas têm. A rede vai permitir uma sistematização que vai contribuir para a melhoria dos processos e dos resultados”.

Fonte: A Voz de Trás-os-Montes