Rede Portuguesa de Jazz

66

Para dar mais visibilidade nacional, mas sobretudo internacional, ao jazz e à música improvisada portuguesa, foi criada Portugal Jazz, uma estrutura cultural para congregar músicos, promotores, editores, professores e investigadores.

O que está por detrás da necessidade de fazer a rede é a observação feita por alguns de nós de que Portugal é um país periférico e que não tem fundos, apoios, estruturalmente tem um défice muito grande de suporte à internacionalização”, afirmou à agência Lusa o músico Carlos Martins, um dos fundadores da Portugal Jazz.

Esta é a primeira rede portuguesa dedicada ao jazz e à música improvisada, tendo sido constituída em assembleia geral em novembro passado em Jobra, Albergaria-a-Velha. O processo de construção do projeto teve financiamento estatal, de cerca de dez mil euros, através do Fundo de Fomento Cultural.

Além de Carlos Martins, a direção da Portugal Jazz – Rede Portuguesa de Jazz integra Massimo Cavalli, Pedro Costa, Carlos Mendes, Pedro Cravinho, enquanto Pedro Guedes e Rui Eduardo Paes fazem parte da assembleia-geral e José Miguel Pereira e Carla Pomares do conselho fiscal.

Fonte: Notícias ao Minuto