Américo Rodrigues é o novo director-geral das Artes: “Venho de um terreno difícil”

127

O antigo director do Teatro Municipal da Guarda, Américo Rodrigues, é o novo director-geral das Artes, em substituição de Sílvia Belo Câmara, anunciou esta sexta-feira o Ministério da Cultura (MC). Assumirá o cargo a partir do próximo dia 13, precisou esta manhã a tutela num comunicado.

O novo director-geral das Artes sucederá a Sílvia Belo Câmara, que terá manifestado a sua indisponibilidade para se manter em funções. No passado dia 25 de Janeiro, o MC anunciava que a dirigente estava de saída, “a seu pedido”, e que Susana Graça a substituiria a partir do dia 1 de Fevereiro; cinco horas depois, porém, Graça Fonseca revertia a decisão, após tomar conhecimento da existência de um processo judicial da nomeada contra a entidade que iria dirigir. Sílvia Belo Câmara foi de novo chamada a assumir a Direcção-Geral das Artes provisoriamente, até à nomeação de novo titular, processo a que a tutela prometeu dar celeridade.

Américo Rodrigues, que nasceu na Guarda em 1961, foi director do Teatro Municipal da Guarda desde a sua fundação, em 2005, até à sua polémica demissão do cargo em 2013, e coordenador da Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço (2005-2018), na mesma cidade. Tornar-se-á na próxima semana o quarto director-geral das Artes desde que o actual Governo tomou posse, sucedendo a Carlos Moura-Carvalho (que estava há menos de um ano no cargo quando foi demitido, em Maio de 2016, pelo então ministro da Cultura Luís Filipe Castro Mendes), Paula Varanda (também demitida por Castro Mendes, na sequência de uma situação de incompatibilidade denunciada pelo programa da RTP Sexta às Nove) e Sílvia Belo Câmara. Tal como o futuro titular da DGArtes, todos exerceram funções em regime de substituição.

(…)

Fonte: Público

Artigo completo (+)