Penacova cria Centro de Inovação do Turismo de Natureza Km0

102

O município de Penacova quer dinamizar o turismo de natureza na região e apoiar o “desenvolvimento de soluções inovadoras” para o setor, através da criação do Centro de Inovação do Turismo de Natureza Km0.

“Dinamizar o turismo de natureza no município de Penacova, através do apoio a atividades que favorecem o aparecimento de soluções inovadoras capazes de explorar o potencial da região, é o principal objetivo do Km0”, que acaba de ser criado, anunciou hoje a Câmara daquela vila do distrito de Coimbra, numa nota enviada à agência Lusa.

“Com uma “estratégia de apoio ao empreendedorismo, à inovação tecnológica”, desde aplicações (app) ou sensores a disponibilização gratuita de dados (open data), e à “promoção de conhecimento científico”, em áreas como desporto, botânica, desenvolvimento sustentável e património, o centro de inovação “conta com o apoio do Instituto Pedro Nunes (IPN), da Universidade de Coimbra e de algumas startups tecnológicas” da região”, adianta a autarquia.

O Km0 pretende afirmar-se como um centro de inovação para “apoiar os negócios nascentes nesta área” e “permitir o acesso dessas empresas/projetos a tecnologias capazes de suportar a sua implementação”, sublinha o presidente da Câmara de Penacova, Humberto Oliveira, citado pela autarquia.

O centro também quer ser “ponto de ligação e mobilização do município”, criar “um acervo de conhecimento científico, técnico e legislativo”, e assumir-se como “a infraestrutura que possa servir de base para a exploração turística”, acrescenta o autarca socialista.

Assumindo o turismo enquanto eixo de desenvolvimento regional, os promotores do projeto apostam ainda no potencial da região para a prática e promoção do turismo de natureza.

(….)

O Centro de Inovação do Turismo de Natureza “responde assim a uma das necessidades e estratégias apontadas pelo Plano Estratégico Nacional do Turismo”, que considera a natureza como um dos “dez produtos turísticos estratégicos” para o país, cujo crescimento anual previsto é de “05% nos próximos anos, fruto dos principais mercados emissores” a nível europeu (Alemanha, Reino Unido, Holanda, Escandinávia, França e Itália).

O Km0 é um dos 15 projetos contemplados com uma ‘bolsa de ignição’ do Inov C 2020, consórcio cofinanciado pelo Programa Operacional Centro 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, liderado pela Universidade de Coimbra e do qual fazem parte “dez parceiros nucleares”, entre as quais os institutos politécnicos de Coimbra, de Leiria e de Tomar, o IPN e os parques tecnológicos de Óbidos (Obitec) e do Vale do Tejo (TagusValley).

Fonte: DN