Torre do Tombo contabilizou 18 entradas por incorporação de documentação em 2018

75

O Arquivo Nacional da Torre do Tombo (ANTT), em Lisboa, registou, no ano passado, 18 incorporações de documentação relativa a áreas desde a esfera familiar à administração pública, entre doações, aquisições e depósitos, revelou o diretor.

O único depósito foi efetuado em março, pelo período de 30 anos, do Arquivo Valle e Sousa de Menezes (1544-1867), de uma família ligada à administração do Estado Português da Índia e a João de Castro (1500-1548), que foi cartógrafo e 4.º vice-rei da Índia.

(…)

Entre a documentação incorporada, no ano passado, está uma doação de duas caixas com documentos e fotografias (1890-1942) da família Anjos Vaz, relativos à organização económica e administração de propriedades rurais. Outra doação foi constituída por dois dossiês com documentos de 1799 a 1948 da família Novais Castilho, ligada à atividade de despachantes oficiais e à navegação no porto de Lisboa.

Relativo ao porto da capital, o ANTT recebeu por doação de um particular 75 livros referentes ao “Registo de Entradas de Navios” (1880-1973).

Além de doações, o ANTT adquiriu, em dezembro último a um particular, 12 caixas com cerca de 4 mil documentos, que incluíam a correspondência trocada entre o diplomata João Camelo Lampreia e várias figuras da política e das culturas portuguesa e brasileira (1883-1922).

Outra aquisição feita é constituída por cartas de Teresa de Sousa Holstein, filha do duque de Palmela, para o seu futuro marido, o conde de Vila Real, José Luís de Sousa, e um pergaminho do século XV, sobre a vila de Óbidos.

As 34 cartas inéditas que constituem o lote foram escritas entre 1 de janeiro e 9 de abril de 1820, quando o conde se encontrava em Madrid como enviado extraordinário e plenipotenciário.

Fonte: Observador