Contrato de concessão do Mosteiro de Arouca já foi assinado

285

O contrato de concessão do Mosteiro de Arouca, cujo concurso foi ganho pelo grupo MS Hotels & Resorts, foi assinado esta quarta-feira, 10 de abril, sendo válido por um período de 50 anos, segundo nota informativa da Secretaria de Estado do Turismo.

No âmbito desta concessão, o grupo MS Hotels & Resorts “compromete-se a construir uma unidade hoteleira de 4 estrelas com entre 60 a 70 quartos, spa, piscina interior e exterior e corte de padel”, revela a mesma informação, onde se lê que “será também construído um restaurante”.

O edifício do Mosteiro de Arouca vai receber obras de requalificação que estão orçadas em 3,5 milhões de euros, com o grupo MS Hotels & Resorts a pagar uma renda anual de 42 mil euros, refere ainda o comunicado da Secretaria de Estado do Turismo.

“A conversão deste espaço não utilizado do Mosteiro de Arouca num hotel mostra a dinâmica do programa Revive e a capacidade que o Turismo está a ter de alargar ao longo de todo território e de ser um instrumento de desenvolvimento regional”, sublinha Ana Mendes Godinho, secretária de Estado do Turismo, citada no mesmo comunicado.

O Mosteiro de Arouca foi o sétimo edifício a ser adjudicado no âmbito do Revive, encontrando-se atualmente a decorrer mais cinco concursos, que visam a concessão da Casa de Marrocos, em Idanha-a-Velha; do Convento do Carmo, em Moura; do Mosteiro de Lorvão, em Penacova; da Quinta do Paço de Valverde, em Évora; e do Castelo de Vila Nova de Cerveira.

Fundado no século XII pela Ordem de Cister, o Mosteiro de Arouca está na posse do Estado desde 1834 (ano em que foram extintas as ordens religiosas), mas manteve as funções religiosas até 1886, ano em que faleceu a última freira que vivia no mosteiro. Nos últimos tempos, o Mosteiro de Arouca teve diversas utilizações e está classificado como Monumento Nacional desde 1910.

Fonte: Publituris