Programa transfronteiriço vai permitir circulação de artistas e projetos culturais

101

O Programa Centro Magalhães vai envolver um investimento de quatro milhões de euros e permitir a “circulação de artistas e de projetos culturais” entre o Alentejo, Algarve e a Andaluzia (Espanha). Financiado pelo INTERREG V A Espanha Portugal (POCTEP) e integrado no projeto mais amplo denominado SPHERA Cástris para as Indústrias Culturais e Criativas, o Magalhães vai ser executado a partir deste ano e até 2021. Tem como objetivo criar uma rede transfronteiriça de infraestruturas que contribua para a fixação de indústrias culturais e criativas no território.

No âmbito do Magalhães, um programa financiado pelo INTERREG V A Espanha Portugal (POCTEP), está previsto um investimento na recuperação de infraestruturas, que abrange o Mosteiro de S. Bento de Cástris e o edifício da Escola de Artes. Assim, pretendem-se desenvolver linhas de ação transfronteiriças que reforcem a capacitação do setor das indústrias culturais e criativas das regiões envolvidas: Alentejo, Algarve e Andaluzia. No Alentejo são parceiros do programa a Direção Regional de Cultura do Alentejo e a Universidade de Évora, tendo a candidatura sido promovida pela CCDRAlentejo.
O Mosteiro de São de Bento de Cástris, classificado como monumento nacional, poderá assim acolher residências, intercâmbios de arte, ciência e património, e incubação de indústrias criativas e culturais. Será também um novo espaço cultural na região, com salas de exposições permanentes e temporárias, para usufruto dos cidadãos.
Na Escola de Artes da Universidade de Évora irá nascer um laboratório criativo com equipamentos de fabricação digital e prototipagem rápida, aberto aos estudantes da universidade, a artistas, criativos e à população em geral e que servirá como espaço de apoio à incubação de indústrias criativas.
Para mais informações (+)