Artigo “Obelisco da Memória Monumento Comemorativo do Desembarque das Forças Liberais no Norte de Portugal”, por André Silva

4603

Obelisco da Memória – Praia da Arenosa, Pampelido
Foto: Nuno Silva, 2012

“Na praia da Arnosa em Pampelido (Matosinhos) encontra-se o Obelisco da Memória no exato local onde ocorreu o desembarque de 7500 homens liderados por D. Pedro IV em 1832.

Depois da morte de D. João VI – o rei que iniciara a transição da monarquia absoluta para a liberal – o príncipe D. Pedro IV, por ser imperador do Brasil, abdicou do trono na sua filha Maria da Glória. No entanto o seu irmão, D. Miguel, usurpou-lhe o trono e  repôs a monarquia absoluta. D. Pedro IV, que entretanto abdicara da coroa imperial do Brasil, organizou em Inglaterra uma expedição para desembarcar em Portugal e depor D. Miguel e o seu regime absolutista. Depois de passar pelos Açores a armada liberal chegou à costa norte portuguesa a 8 de julho de 1832, tentando primeiramente desembarcar em Vila do Conde. No entanto o oficial enviado a terra para pedir a adesão à causa liberal foi ameaçado de fuzilamento se dali não saísse. A armada liberal navegou duas léguas para sul e foi desembarcar na praia da Arnosa, a partir de onde se dirigiu para o Porto onde resistiu heroicamente durante um ano a um cerco de 80 mil homens do exército absolutista.

O obelisco da memória foi mandado levantar pelo governador do distrito António José de Ávila e a sua construção foi oficialmente iniciada a 1 de dezembro de 1840. Tem 25 metros de altura e contém quatro lápides de mármore com inscrições. Inicialmente fora previsto colocar na face poente do obelisco o busto de D. Pedro IV e no ápice uma estrela radiante no centro da qual se leria o ano de 1832. No entanto em vez destes elementos foram colocados no obelisco duas coroas de ferro bronzeado: uma na face nascente, onde se lê 8 de julho, e outra na face poente, onde se lê 1832.

Da mesma época encontra-se em Vila do Conde um padrão comemorativo da primeira tentativa de desembarque, o qual tem 5 metros de altura e consiste numa de duas pirâmides que se encontravam na entrada de uma ponte que existira sobre o rio Ave.”

Bibliografia:

RAMOS, António Francisco. “Lavra: Apontamentos para a sua Monografia”. Imprensa Portuguesa, Porto, 1992.
REIS, António do Carmo. “O Desembarque de Pampelido: para uma Introdução à História do Liberalismo em Portugal” in “Caderno de Cultura do Jornal de Vila do Conde”, n.º 149-154. 1982.