“Edifício Entreposto do Peixe e Frigorífico”, por André Silva

3045

Foto: Nuno Silva

Edifício Entreposto do Peixe e Frigorífico, por André Silva

Localizado em Massarelos em frente ao rio Douro, e separado do museu do carro eléctrico pela rua D. Pedro V, encontra-se o antigo Entreposto do Peixe e Frigorífico, pioneiro em Portugal nas conservas em câmaras frigoríficas. A sua construção decorreu nos anos 30, sob projeto do arquiteto Januário Godinho – pertencente à primeira geração de arquitectos modernos portugueses – que concebeu um edifício expressivo que nos remete para o movimento moderno de influência nórdica como se observa pelas suas curvas, inflexões e relação dos vãos com a envolvente.

A fachada principal reflecte o programa do edifício que se articula em três áreas principais: na esquina, que dá para a rua D. Pedro V, encontravam-se as dependências administrativas e habitações. No centro, onde se encontram as grandes janelas voltadas para o Douro, com um ritmo acentuado pelas paredes verticais entre elas, situava-se a “bolsa do pescado” onde se realizavam as operações comerciais, vendendo-se o peixe na lota a leilão. Este espaço caracteriza-se pelo seu pé direito total de cobertura curva preenchida por painéis de tijolo translúcido num vão de 18 metros. O peixe depois de vendido ia para a sala de preparação que se caracteriza pelos vãos de vidro verde –tonalidade que afasta as moscas.

A seguir, a fachada cega corresponde às câmaras frigoríficas onde se fabricava gelo e se conservava peixe seco, fresco e frutas. Nesta fachada destacam-se ainda seis painéis de baixo-relevo que representam o quotidiano dos pescadores e vendedores de peixe. No subsolo encontravam-se as dependências de lavagem e preparação do peixe que até ali era transportado através de um túnel que se ligava ao cais em frente ao edifício.

De notar que depois da construção deste edifício iniciara-se o projeto de um dos maiores ícones do modernismo portuense dos anos 30: o coliseu do Porto, que também se caracteriza pela subtileza das curvas e acentuado ritmo num equilíbrio entre linhas horizontais e verticais.

 

Bibliografia: BACELAR, Manuel de, “Entreposto do Peixe e Frigorífico”, Porto, 1941. “Desenho de Arquitectura”, Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto, 1987.