Paulo Mendes da Rocha doa projecto do Museu dos Coches à Casa da Arquitectura

5453

museu_coches

O arquitecto brasileiro Paulo Mendes da Rocha, Prémio Pritzker de 2006, vai doar o projecto que fez para o novo Museu Nacional dos Coches, em Lisboa, à Casa da Arquitectura, em Matosinhos.

O acordo vai ser assinado em Lisboa, na Ordem dos Arquitectos, a 20 de Maio, três dias antes da data marcada para a inauguração do Museu dos Coches, que Paulo Mendes da Rocha projectou em colaboração com Ricardo Bak Gordon, e cujo edifício está pronto desde 2012.

A doação do arquitecto brasileiro, diz o comunicado divulgado pela Câmara de Matosinhos – que está a recuperar o antigo edifício da Real Vinícola para o transformar na Casa da Arquitectura –, “inclui desenhos e maquetas do edifício de Belém e do respectivo projecto expositivo”, estando entre estas peças a primeira maqueta que esteve na origem da encomenda do projecto a Mendes da Rocha.

De acordo com o contrato, a Casa da Arquitectura encarrega-se de guardar, tratar, divulgar e promover internacionalmente o projecto do Museu Nacional dos Coches.

Paulo Mendes da Rocha foi um dos signatários de um primeiro acordo estabelecido entre a Câmara de Matosinhos e um conjunto de arquitectos, maioritariamente portugueses, tendo por objectivo a doação de arquivos e peças dos respectivos acervos à Casa da Arquitectura, que começou por ser uma construção de raiz desenhada por Álvaro Siza para um terreno junto ao porto de Leixões. O projecto do primeiro Pritzker português acabaria, no entanto, por não ir adiante, devido a restrições orçamentais. E a autarquia actualmente liderada por Guilherme Pinto acabou por optar, em alternativa, pela recuperação da antiga Real Vinícola – as obras de adaptação a Casa da Arquitectura deverão iniciar-se na próxima semana, com um prazo previsto de execução de ano e meio e um orçamento de três milhões de euros.

O retomar, agora, da parceria com Paulo Mendes da Rocha vem enriquecer um acervo que inclui já também projectos de Álvaro Siza e de Eduardo Souto de Moura – a futura Casa da Arquitectura passará, assim, a reunir testemunhos do trabalho de três Prémios Pritzker de língua portuguesa.

Fonte: Público