Sara Brighenti e Nuno Polvora Santos subcomissários do Plano Nacional das Artes

158

A coordenadora do Museu do Dinheiro, Sara Barriga Brighenti, e o advogado e professor de música Nuno Humberto Pólvora Santos são os subcomissários do novo Plano Nacional das Artes (PNA), que entrará em vigor no dia 01 de março.

De acordo com uma resolução do Conselho de Ministros hoje publicada em Diário da República, Sara Brighenti e Nuno Pólvora Santos juntam-se assim ao curador, ensaísta e professor Paulo Pires do Vale, nomeado comissário do plano.

Esta comissão executiva, que depende diretamente dos membros do Governo responsáveis pelas áreas da cultura e da educação, tem como missão elaborar o PNA, cujas linhas orientadoras são definidas pelo diploma.

Apesar de o PNA ter um horizonte de dez anos (2019-2029), a comissão executiva tem até dia 01 de maio para apresentar às respetivas tutelas, o primeiro plano estratégico do PNA e o plano de atividades para o ano letivo 2019-2020.

De acordo com as linhas orientadoras, o plano terá de acautelar a articulação, a potenciação e a expansão da oferta cultural para a comunidade educativa, em parceria com entidades públicas e privadas.

Desta forma, pretende-se melhorar a oferta educativa já existente, como é o caso do Plano Nacional de Leitura, do Plano Nacional de Cinema, do Programa de Educação Estética e Artística, do Programa Rede de Bibliotecas Escolares e da Rede Portuguesa de Museus.

Estimular a aproximação dos cidadãos às artes, proporcionar diversidade de experiências artísticas, fomentar a colaboração entre artistas, educadores, professores e alunos, para desenhar novas estratégias de ensino e aprendizagem, e alargar o âmbito das competências facultadas pelas escolas, abrindo-as à comunidade, são outros dos objetivos propostos para este novo plano das artes.

A subcomissária do PNA, Sara Brighenti, foi também coordenadora do serviço educativo da Casa das Histórias Paula Rego, e docente e coordenadora de curso na Escola Artística António Arroio.

Quanto a Nuno Pólvora Santos, formado em Direito, desenvolveu o seu percurso na área das artes e da cultura, tendo já sido diretor de espetáculos do Teatro Nacional de São Carlos e subdiretor da Companhia Nacional de Bailado.

O Plano Nacional das Artes consta das Grandes Opções do Plano (GOP) do atual Governo desde 2017, repetindo-se a intenção de criar tal projeto em 2018, em articulação com os demais planos de Leitura e do Cinema.

Fonte: JN