Sede da EDP e Terminal de Cruzeiros são os prémios Valmor de 2017

93

O Prémio Valmor de Arquitetura 2017 foi atribuído ao arquiteto Aires Mateus, pelo edifício sede da EDP, e ao arquiteto Carrilho da Graça, pelo terminal de cruzeiros, anunciou a Câmara Municipal de Lisboa, responsável pela distinção.

A sede da EDP foi concebida como “um edifício que quis construir cidade, que quis dialogar com a cidade”, disse à Lusa Manuel Aires Mateus, considerando, por isso, que se trata de uma “distinção importante”.

O edifício do terminal de cruzeiros foi pensado por João Luís Carrilho da Graça além da funcionalidade, “do ponto de vista da cidade e das pessoas”, uma preocupação materializada no parque urbano arborizado e na cobertura concebida para ser um “espaço público acessível”.

Além dos dois prémios, foram atribuídas quatro menções honrosas: a reabilitação do palácio de Santa Catarina, da arquiteta Maria Teresa Magalhães Nunes da Ponte, o Edifício Lisbon Stone Block, do arquiteto Alberto Souza Oliveira, a ampliação de um edifício de habitação em Alfama, do arquiteto Pedro Gameiro, e a requalificação do Largo de Santos e vias adjacentes, uma obra da Câmara concebida pelo ateliê 92 Arquitetos, de João Almeida e Luís Torgal, com o arquiteto paisagista Victor Beiramar Diniz.

O júri que atribuiu o prémio Valmor de 2017 foi composto pela vereadora da Cultura, Catarina Vaz Pinto (em representação do presidente da Câmara de Lisboa), pelo arquiteto Jorge Catarino (CML), arquiteto Alberto Souza Oliveira (personalidade convidada), arquiteto Francisco Berger (Academia Nacional de Belas Artes), arquiteto Chuva Gomes (Ordem dos Arquitetos) e arquiteto João Pardal Monteiro (Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa).

O prémio Valmor é anual, mas houve “um atraso entre 2013 e 2016”, que está agora “a ser recuperado”, referiu à Lusa fonte oficial da autarquia.

Fonte: Expresso