Panteão Nacional aumentou os lucros com o aluguer de espaços

34

No último ano, o Panteão Nacional aumentou os lucros com o aluguer do espaço para concertos e espectáculos, tendo sido palco de eventos musicais como o Festival Rescaldo ou de outras performances como a arte circense funambulismo (acrobacias numa corda bamba).

Na sequência do polémico banquete da Web Summit, o Governo alterou a lei e proibiu o aluguer do espaço para jantares e cocktails, o que representava a maior fatia das receitas do monumento. Actualmente, segundo determina o despacho sobre a cedência de espaços afectos à Direcção -Geral do Património Cultural, “no Panteão Nacional, instalado na Igreja de Santa Engrácia, só podem ser autorizados eventos de natureza cultural, criteriosamente seleccionados e enquadrados com a dignidade dos espaços”.

Segundo os dados disponibilizados ao PÚBLICO pela direcção do Panteão, entre Março de 2018 e Março deste ano, o Panteão lucrou 6.150 euros com o aluguer para concertos/espectáculos. E não houve quaisquer filmagens como no passado.

Entre Março de 2017 e Fevereiro de 2018 (antes da lei ter sido alterada), o Panteão lucrou 1.991,75 euros com o aluguer do espaço para concertos/espectáculos, 2.460 euros com alugueres para filmagens e 14.769 euros para jantares.

Consoante se trate da sala do coro ou do terraço, os preços de aluguer variam entre os mil até aos 5 mil euros, sendo a nave central o local mais caro.

(…)

Fonte: Público

Artigo completo (+)