Gulbenkian celebra 150 anos do fundador com exposição sobre arte islâmica

60

Fundação Calouste Gulbenkian

Obras do colecionador Calouste Gulbenkian, do Museu do Louvre e do Metropolitan Museum of Art, entre outras, vão estar reunidas a partir de 12 de julho, em Lisboa, numa exposição sobre o gosto pela arte islâmica do mecenas arménio.

O “Gosto pela Arte Islâmica’ é o título desta mostra que visa celebrar, na sede da fundação, em Lisboa, os 150 anos do nascimento do fundador, e que ficará até 7 de outubro na galeria principal da Fundação Gulbenkian.

A exposição terá curadoria de Jessica Hallett, uma das responsáveis pelo núcleo islâmico do Museu Gulbenkian, que selecionou as peças ligadas a este gosto do fundador, nascido no Império Otomano, educado na Europa, e que, ao longo da vida, conviveu com diferentes culturas, do Oriente e do Ocidente.

Os 150 anos do nascimento do colecionador, empresário e filantropo arménio Calouste Sarkis Gulbenkian, estão a ser alvo de um programa de celebrações que incluem várias iniciativas, entre elas uma exposição sobre a sua vida e obra, que está patente desde março, intitulada ‘Calouste: uma vida, não uma exposição’.

Nascido em 23 de março de 1869, em Istambul, a então Constantinopla, Gulbenkian morreu em 20 de julho de 1955, em Lisboa, depois de uma vida a percorrer o mundo, atravessando as duas grandes guerras mundiais.