Aires Mateus ganham mais um concurso para um museu em França

151

Museu Agostinhos, Arquitectos Aires Mateus, França

Depois dos projectos para o Centro de Criação Contemporânea Olivier Debré, em Tours, e do Museu dos Agostinhos, em Toulouse, os irmãos Francisco e Manuel Aires Mateus voltam a ganhar um concurso para intervir numa instituição cultural em França. Desta vez o Museu de Belas-Artes de Reims, tal como o de Toulouse instalado num edifício religioso que nasceu na Idade Média e com um passado ligado aos frades agostinhos —​ um complexo que foi sofrendo bastantes alterações ao longo dos séculos, de acordo com a evolução da cidade.

O anúncio foi feito esta segunda-feira pelo presidente da câmara da capital não oficial da região vinícola de Champagne e marca simbolicamente o arranque de um processo que deverá terminar com a reinauguração do museu, inteiramente renovado e com mais área e mais valências do que as que tem hoje, prevista para daqui a quatro ou cinco anos.

Fundado em 1794 e instalado, no começo do século XX, num conjunto que pertencia à antiga abadia de Saint-Denis, fechada em 1790 e parcialmente demolida, o museu guarda uma colecção que regista a evolução da arte europeia nos últimos 500 anos (em particular, e naturalmente, a francesa), tendo entre as suas obras de maior destaque pinturas e esculturas de Millet, Rodin, Renoir, Monet, Corot e Boisecq. Um acervo enriquecido, em boa parte, graças a doações de dois dos principais produtores de champanhe da região, Henry Vasnier e Alexandrine Pommery.

(…)

Fonte: Público

Artigo completo (+)