Arquitectos portugueses vencem Prémio Rafael Manzano de NovaArquitectura

239

Prémio Rafael Mandanzo, Arquitectura

Os arquitectos portugueses Alberto Castro Nunes e António María Braga foram distinguidos com o Prémio Rafael Manzano de NovaArquitectura Tradicional, no valor de 50.000 euros.

Ambos são premiados pelo reconhecimento do seu forte compromisso em preservar as tradições arquitectónicas portuguesas, o uso de materiais naturais e técnicas de construção que moldam a identidade de cada lugar.

As suas obras são caracterizadas por durabilidade, sustentabilidade e beleza. Cada uma constitui um verdadeiro manifesto de respeito pela cultura local, da recuperação do equilíbrio com a natureza e a dedicação à comunidade.

Entre as obras dos galardoados encontram-se: Julgados de Paz de Vila Nova de Foz Côa; Casa do Peter, realizada com as formas e materiais próprios da região; o Museu Arqueológico de Odrinhas, Sintra, junto às ruínas romanas escavadas em torno da ermida de São Miguel; aEscola de Artes e Ofícios de Odrinhas ou a sede da Cinemateca Portuguesa em Lisboa, entre outras.

O Prémio Rafael Manzano, com a maior dotação em Portugal e Espanha, é possível graças à generosidade do filantropo norte-americano Richard H. Driehaus. Paralelamente, The Richard H. Driehaus Charitable Lead Trust criou um concurso para apoiar a recuperação do patrimónioem pequenas localidades e um prémio para dar visibilidade a mestres e ofícios da construção tradicional. Estas iniciativas já totalizam donativos na ordem dos 2 milhões de euros.

O Prémio Rafael Manzano é organizado pela rede INTBAU (International Network for Traditional Building Architecture and Urbanism), fundada e patrocinada por S. Alteza Real o Príncipe de Gales, e foi implementado em Portugal pela Fundação Serra Henriques com o Alto Patrocínio do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Na quinta feira, 17 de outubro, terá lugar a entrega do Prémio aos vencedores na Real Academia de Belas Artes de San Fernando em Madrid.