Noite dos Esqueletos: Diabos à solta no Museu Municipal Santos Rocha

29

Noite das Bruxas, Museu Santos Rocha, Figueira da Foz

A Noite dos Esqueletos surgiu em 2011, com uma forte ligação à colecção de Arqueologia, mais propriamente aos esqueletos em exposição permanente, encontrados por Santos Rocha no sítio do Ferrestelo/Figueira da Foz.
À curiosidade de alunos e público em geral pelos dois esqueletos e restante material osteológico da sala, juntou-se a tradição anglo-saxónica do Halloween e esta passou a ser a noite mais divertida e assustadora do ano, em que funcionários e colaboradores do Museu Municipal dão largas à imaginação.

Sob o mote «Diabos à Solta – Mafarricos, Tinhosos e Cornudos», a 9ª edição da Noite dos Esqueletos conta com a colaboração de cerca de 100 voluntários na preparação e dinamização da noite e com o apoio de diversas colectividades, estabelecimentos de ensino e comerciais, através da cedência de trajes ou adereços, ou até mesmo da oferta de materiais e serviços (1.º e 2º Jardim Escola João de Deus; Escola Cristina Torres e Escola Bernardino Machado; Grupo de Teatro Amador – «As Personagens», Mulheres de Tavarede, Conservatório de Música David de Sousa, Escola de Artes do CAE, SIT, Quiaios Clube, lojas Simulassão, Forevers Noivas e 1º Dragão, Grupo Recreativo Vilaverdense, Sociedade Filarmónica Dez d’Agosto, Bombeiros Voluntários, Kidarteventos, Plasfil -Plásticos da Figueira SA, The Navigator Company e Celbi).

À semelhança de 2018, a edição 2019 da Noite dos Esqueletos terá um programa e horário específicos para crianças.
Assim, dia 31 de outubro, entre as 18h00 e as 20h00, famílias com crianças até aos 12 anos podem assistir à «A Lenda da Ponte do Diabo» – na sala de Arqueologia, realizar livremente o percurso pedagógico pelo museu, participar em «Que Diabo de Experiências!», dinamizadas pelos monitores de Serviço Educativo Integrado da Divisão de Cultura, nomeadamente do espaço Querer Saber do Núcleo Museológico do Mar.
«Que Diabo de Experiências!» é a única actividade que está sujeita a inscrição prévia: servico.educativo@cm-figfoz.pt
Uma indumentária perfeita requer pinturas faciais a condizer, pelo que haverá um espaço dedicado a essa actividade, a única que será sujeita a pagamento.

À noite, entre as 21h00 e as 24h00, haverá muitas surpresas e travessuras, para os mais destemidos.
Convidam-se todos a relembrar Gil Vicente, com excertos do «Auto da Barca do Inferno» e de «Todo o Mundo e Ninguém», embalados por coros maléficos, mas afinados, a apreciar danças diabólicas e uma recriação da Diablada boliviana. Tudo isto contextualizado com decoração infernal, onde pululam diabos, mortes e criaturas fantasmagóricas.