Vila Nova de Famalicão promove Turismo Industrial

68

Museu da Indústria Têxtil

Vila Nova de Famalicão vai abrir as portas do concelho ao Turismo Industrial, através de um produto diferenciador, para promover e valorizar a dinâmica da industrialização do território e proporcionar experiências únicas aos visitantes.

O projeto que assenta no aproveitamento das potencialidades turísticas do sector, na preservação do património industrial e no envolvimento da indústria em atividade foi apresentado na passada quinta-feira, na Adega Casa da Torre, um projeto vitivinícola com vertente turística localizado na freguesia de Louro.

Inserido no eixo estratégico “Turismo Industrial e de Negócios”, que emerge da Estratégia de Desenvolvimento Famalicão Turismo 2020, o projeto divide-se em Património Industrial, Indústria Viva, Centro de Investigação e Desenvolvimento e Enoturismo, envolvendo para já a cooperação de onze entidades famalicenses públicas e privadas, numa rota turística industrial.

Para já foi constituída uma rota com onze espaços que estão a celebrar protocolo de cooperação com a autarquia. Os espaços estão preparados para receber a visita de turistas e integram, no âmbito do Património Industrial, o Museu da Indústria Têxtil, o Museu do Automóvel e o Museu Nacional Ferroviário. No âmbito da Indústria Viva, a Empresa Têxtil Nortenha, a Troficolor Têxteis e a Fábrica de Chocolates Casa Grande. No âmbito da investigação e desenvolvimento, o Citeve. E no Enoturismo, a Casa de Compostela, a Castro – Vinhos de Portugal, a Adega Casa da Torre e Casal de Ventozela.

Neste âmbito, a autarquia avançou já com uma candidatura ao programa ´RegFin´ do Turismo de Portugal para a constituição de uma Rede Portuguesa de Turismo Industrial – RPTI, que será dinamizada nesta fase inicial pelos promotores da candidatura que integra para além de Famalicão, os municípios de S. João da Madeira, Vale de Cambra, Vila do Conde, Santa Maria da Feira e Santo Tirso.

Fonte: Jornal do Ave