A maior necrópole de sepulturas escavadas na rocha da Península Ibérica fica em Trancoso

211

arqueologia

Uma equipa de arqueólogos encontrou 550 sepulturas antropomórficas na aldeia de Moreira de Rei, em Trancoso, distrito da Guarda, o que faz do local a maior necrópole do género da Península Ibérica.

A invulgar necrópole de sepulturas de adultos e de crianças escavadas na rocha encontra-se em redor da igreja de Santa Marinha, datada do século XII, que está classificada como Monumento Nacional desde 1932.

Segundo Maria do Céu Ferreira, arqueóloga da Câmara Municipal de Trancoso, no local existe “um grande cemitério medieval”, balizado entre os séculos VIII-IX e XII-XIII, onde já foram descobertas “cerca de 550 sepulturas escavadas na rocha”.

A área já é considerada uma das “maiores necrópoles da Península Ibérica” e a responsável admite que “ainda apareçam mais” sepulturas, uma vez que as escavações ainda não estão terminadas. O elevado número de sepulturas surpreendeu os arqueólogos, bem como o facto de ainda existirem no local muitos vestígios de ossadas humanas.

Nas escavações, iniciadas em agosto de 2018, estiveram envolvidos quatro arqueólogos e uma antropóloga, mas o número de técnicos será reforçado no início de 2020, quando as prospeções forem retomadas. “Estamos convencidos de que para os finais de janeiro [de 2020] iremos retomar [as escavações], até com o reforço de recursos humanos, porque temos muito aqui que fazer”, adiantou Maria do Céu Ferreira à agência Lusa.

(…)

Os trabalhos arqueológicos estão a ser realizados pelo município de Trancoso, no âmbito do projeto de requalificação do largo e da igreja de Santa Marinha, para devolver o espaço “ao usufruto pleno da comunidade”, como explicou o arquiteto municipal Tiago Silva.

(…)

Fonte: JN